Destaque PrincipalReportagensVinhos

Malbec: Nossos 10 eleitos

A Malbec encontrou condições excelentes na Argentina, onde produz vinhos frutados, encorpados, de cor intensa, e taninos, em geral bem moldados

A Malbec encontrou condições excelentes na Argentina, onde produz vinhos frutados, encorpados, de cor intensa, e taninos, em geral bem moldados. Além do Cahors, também está presente em Bordeaux, onde entra em vinhos de corte.

Segundo a Wines of Argentina – órgão que promove e cuida da divulgação do vinho argentino pelo mundo –, a chegada da Malbec ao país é atribuída ao engenheiro agrícola Michel Aimé Pouget, visto que, em 1853, foi ele primeiro a usar a variedade na enologia. Mas foi apenas na década de 1990 que a uva explodiu na Argentina, graças à grande revolução implementada pelo vinhateiro Nicolas Catena – um dos principais nomes no mundo do vinho. Catena, portanto, começou a produzir varietais de grande qualidade e foi o responsável por produzir o primeiro vinho 100% Malbec, maturado 12 meses em carvalho francês. A bebida, então, conquistou logo o mercado dos Estados Unidos e depois os demais países, caso do Brasil. Sendo assim, vamos aos nossos dez eleitos.

Clique aqui e confira as dicas do Calendário do Vinho

Continua após o anúncio
Catena Zapata Malbec Argentino 2017

Mendoza

Mistral

Tudo nesse vinho é grandioso, começando pelo rótulo – ele retrata um pouco da saga da uva, da Idade Média, passando pela praga da phyloxera até chegar a Adrianna Catena, filha de Nicolas. Suas uvas são provenientes de vinhas antigas da empresa, ou seja, dos vinhedos Nicasia e Angelica, divididos em parcelas, com cada uma sendo colhida separadamente, em momentos diferentes, para que estejam no auge da maturação. É caro, mas vale a experiência. Outros vinhos da casa, como por exemplo o Catena Malbec 2017, que é bem mais em conta, também agradam em cheio, graças a muita fruta, boa estrutura e taninos bem resolvidos.

El Enemigo Malbec 2015

Mendoza

Mistral

Um dos projetos mais bacanas da Argentina, fruto da união de Alejandro Vigil, enólogo chefe das bodegas Catena Zapata, e de Adrianna Catena, filha mais nova de Nicolás Catena. É elegante e complexo, com taninos sedosos e muito saboroso no paladar, com muita fruta presente e grande frescor. Vinho, portanto, que envelhece em grande estilo.

Achaval-Ferrer Malbec 2018

Mendoza

Clarets

Essa é uma das melhores vinícolas da Argentina. A Achaval-Ferrer foi fundada em 1998 em Perdriel, Luján de Cuyo, em Mendoza. No início, contou com a consultoria do respeitado enólogo italiano Roberto Cipresso. Este Malbec é delicioso, cheio de fruta, bem como com taninos macios e final muito gostoso.

Zuccardi Serie A Malbec 2018

Mendoza

Grand Cru

A família Zuccardi é uma das mais tradicionais  da Argentina e escolheu o fantástico Vale do Uco para dar origem a este Malbec. É no Uco que várias empresas apostam para alcançar os intensos aromas de frutas vermelhas, como por exemplo cerejas e ameixas, e muito equilíbrio no paladar.

Vinã Alicia Brote Negro Malbec 2013

Mendoza

Decanter

Um vinho pouco comentado, mas de uma concentração e elegância que agradam em cheio. Suas uvas são provenientes de vinhedos muito antigos, alguns com cerca de 150 anos. Delicioso.

Achaval-Ferrer Finca Bella Vista 2014

Mendoza

Clarets

Um dos pilares da Achaval são os vinhos de Fincas: Altamira, Bella Vista e Mirador, cada um com um conceito de terroir. São na maior parte vinhas centenárias, com alta qualidade e complexidade, graças também aos baixos rendimentos. Os três são excelentes, mas para o meu paladar, o Bella Vista está um pouco acima. É harmônico, com acidez na medida, bom corpo e elegância.

Single Vineyard Finca La Pampa Malbec 2015

Mendoza

Zahil

Vinho da Bodegas Salentein que envelhece por cerca de 15 meses em barricas de carvalho. Faz parte da linha mais nova da empresa, que nos últimos anos tem a enologia sob o comando de José Pepe Galante, um dos grandes nomes do setor. Expressão do melhor terroir do Valle do Uco.

Cobos Bramare Malbec Lujan de Cuyo 2017

Mendoza

Grand Cru

Um delicioso Malbec, com cor vermelho-profundo e tons violáceos, repleto de notas de especiarias, e de frutas negras. Na boca é complexo, com bastante estrutura. A madeira se faz presente devido aos 17 meses que passa em barricas de carvalho francês e americano.

Riccitelli Hey Malbec 2016

Mendoza

WineBrands

Em Vistalba, o jovem enólogo Matias Riccitelli está fazendo um trabalho de resgate de vinhedos, ao buscar a máxima expressão da fruta. Seus vinhos são gostosos, alegres, bem como com muito frescor e fruta. Além disso, 70% do vinho é envelhecido em tanques de concreto e 30% em barricas de carvalho francês.

Altos Las Hormigas Malbec Reserve

2017

Mendoza

World Wine

Um delicioso vinho que amadurece 22 meses em barris de carvalho, mas que não deixa nenhuma marca de madeira, ela está bem casada com a fruta. É estruturado, com taninos maduros e muito intenso no paladar. Leva a assinatura do trio Alberto Antonini, Leonardo Erazo e Attilio Pagli. Sendo, portanto, obrigatório na adega.

Mostrar mais

Ricardo Castilho

Ricardo Castilho é diretor editorial de Prazeres da Mesa

Artigos relacionados

Leia também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar