Ranking

Os campeões do ano

POR HORST KISSMANN
FOTOS RICARDO D’ANGELO

Em 2009, a equipe de Prazeres da Mesa – com os maiores especialistas do mercado – degustou para seu ranking mensal, nada mais nada menos que 200 rótulos dos mais variados estilos, países, importadoras e preços. Vale lembrar que a revista compra todos os vinhos colocados nas provas (sempre às cegas), o que garante total idoneidade e transparência na apuração que apresenta aos leitores as melhores opções nas gôndolas. Confira a seguir os 100 campeões do ano que obtiveram as maiores notas e que podem ser adquiridos de olhos fechados. Seu trabalho agora é festejar.

93 PONTOS
Viu 1 2006
Castas: Malbec
e Cabernet Sauvignon
Valle de Colchagua, Chile
É quase um Malbec puro. Com 15% de álcool, o vinho top da chilena Viu Manent revela todo o seu esplendor. Primeiro no nariz, com notas de alcaçuz, e logo após na boca, com taninos de excelente qualidade, que ajudam no final de boca longo e prazeroso.
Hannover, R$ 450

Continua após o anúncio

Clio 2006
Castas: Monastrell e
Cabernet Sauvignon
Jumilla, Espanha
Com 15,5% de álcool, este espanhol é produzido na bodega El Nido de propriedade do australiano Chris Ringland. Muito concentrado, de cor escura e aromas que lembram tabaco, alcatrão e frutas secas, com grande potencial de envelhecimento.
Mistral, US$ 129,50

Gravner
Breg Anfora 2004
Castas: Riesling Italico,
Sauvignon Blanc, Chardonnay e Pinot Gris/Pinot Grigio
Friulli, Itália
Um branco completamente diferente e especial. Vinificado e com estágio em grandes ânforas, tem estilo quase medieval, o que lhe confere sabores muito diferenciados como os de damascos, ervas e especiarias. Zahil, R$ 450

92 PONTOS
Viña Tondonia 1981
Castas: Viúra e Malvasia
Rioja, Espanha
Um dos vinhos brancos mais especiais encontrados na Espanha. Sem equivalente, passa por um longuíssimo envelhecimento em barricas, o que ajuda a garantir a imensa complexidade com enorme frescor e exuberância.
Vinci, US$ 199,50

91 PONTOS
CARM Grande Reserva 2005
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz e Touriga Franca
Douro, Portugal
O vinho produzido pela Casa Agrícola Roboredo Madeira – uma empresa familiar do século XVII – é feito com uvas orgânicas com base na agricultura biológica, sem uso de defensivos agrícolas.
World Wine, R$ 186

De Martino Single Vineyard 2005
Casta: Syrah
Colchagua, Chile
A De Martino foi fundada em 1934 por imigrantes italianos. Está sob o comando da terceira geração. Nesse caso, uvas provenientes de um único vinhedo que sustentam o conceito de Single Vineyards. Decanter, R$ 92,30

Incógnito Tinto 2005
Casta: Syrah
Alentejo, Portugal
Esse maravilhoso tinto é elaborado com uma uva que até pouco tempo não era autorizada na região, a Syrah. Apresenta notas de café e aromas animais evoluídos.
Adega Alentejana, R$ 365,30

Quinta da Manuela 2001
Castas: Tinta Roriz (Tempranillo),
Tinta Barroca e outras
Douro, Portugal
A mentora desse vinho é Margarida Serôdio Borges. Ele revela buquê amplo, grande complexidade, muita fruta e uma excepcional textura com final longo e prazeroso. Vinci, US$ 129,50
Cuvée Alexandre 2007
Casta: Pinot Noir
Casablanca, Chile
Delicioso vinho da Casa Lapostolle, produzido de uvas de diversas parcelas que foram vinificadas separadamente e depois cortadas para o blend final. Apresenta aromas intensos de frutas vermelhas e pretas com notas de cedro. Mistral, US$ 69,90

Storia 2005
Casta: Merlot
Bento Gonçalves, Brasil
O ícone da Casa Valduga é guardado a sete chaves. A colheita manual é somente um dos cuidados desse tinto potente, que tem forte presença de madeira. Na boca, é gostoso, com notas de chocolate. Casa Valduga, R$ 93

90 PONTOS
Volnay AOC tinto 2003
Casta: Pinot Noir
Borgonha, França
Jovem, a francesa Olivier Leflaive nasceu em 1984, com foco nos brancos Chardonnay. Dos poucos Pinot Noir produzidos pela vinícola, esse é um de comprovada excelência com tons de chocolate. Muito bem estruturado e com final longo. Expand, R$ 139

Quinta do Crasto 2006
Casta: Touriga Nacional
Douro, Portugal
Esse grande português é certeza de uma explosão de frutas e de flores (violetas). Vinho prazeroso, com taninos bem moldados, bem gastronômico. Qualimpor, R$ 414

Bin 407 2004
Casta: Cabernet Sauvignon
South Austrália, Austrália
Vinho do gigante Penfolds, empresa fundada em 1844, uma das responsáveis por colocar a Austrália no mapa dos vinhos do mundo. Feito com uvas dos vales de McLaren e Barossa e estagia por um ano em carvalho, sendo um terço deles novo. Mistral, US$ 87,90
Jester 2007
Casta: Cabernet Sauvignon
McLaren Vale, Austrália
Outro belo exemplar australiano. Cor rubi-escuro, frutas maduras, tostado e bem encorpado. Um bom custo-benefício vindo da Austrália.
Casa Flora/Porto a Porto, R$ 83

Barbera d’Alba La Cresta 2005
Casta: Barbera
Piemonte, Itália
Barbera muito prazeroso e com grande equilíbrio: boa acidez, muita fruta e taninos redondos e macios, final longo.
Interfood, R$ 141,48

Cerviolo 2004
Castas: Sangiovese, Cabernet Sauvignon
e Merlot
Toscana, Itália
Belo exemplar italiano que mostra um corte de uvas curioso. A mistura resultou num vinho excepcional. É encorpado, elegante e com grande final. Decanter, R$ 211,75

Hunter’s 2006
Casta: Pinot Noir
Marlborough, Nova Zelândia
Aroma de média intensidade (típico da casta), com frutas frescas vermelhas e notas de sous-bois, couro, especiarias e leve carvalho. Taninos macios e que ficarão sedosos com mais um ano de garrafa.Bom para a adega. Premium, R$ 102

Chocapalha Reserva 2004
Castas: Touriga Nacional e Tinta Roriz
Alenquer, Portugal
A Quinta Chocapalha pertence à família da competente enóloga Sandra Tavares da Silva. É um vinho intenso, rico, vigoroso, com taninos sedosos e de final longo. Vinci, US$ 79

Marqués de Tomares
Crianza 2005
Castas: Tempranillo, Mazuelo
e Gracian; Rioja, Espanha
Esse espanhol apresentou grande estrutura e muita fruta, sendo longo e persistente na boca. Passa um ano em barricas de carvalho americano, e no mínimo 14 meses em garrafa antes de ser comercializado. Casa Flora, R$ 48

Rincón de Navas Crianza 2005
Casta: Tempranillo
Rioja, Espanha
Essa é a primeira bodega fundada pela família Garcia Viadero. Mostra grande potencial de guarda, é rico e complexo. Grand Cru, R$ 94

Barón de Oña Reserva 1999
Castas: Tempranillo e Mazuelo
Rioja, Espanha
A Barón de Oña deve suas origens a Leandro Vázquez, um cubano que comprou a finca e fundou a bodega na Espanha. No ano de 1995 foi adquirida pelo grupo La Rioja Alta. Bem envelhecido, com madeira presente, é longo e persistente. Zahil, R$ 135

Elias Mora Crianza 2006
Casta: Tempranillo
Valladolid, Espanha
Com 9 anos de idade, a vinícola espanhola especializou-se na casta Tinta de Toro, que, vale lembrar, não foi afetada pela praga da filoxera. De boa complexidade e madeira bem casada. Vino, R$ 120

Garmendia 2004
Castas: Tempranillo, Graciano e Garnacha
Burgos, Espanha
Feito com uvas de agricultura ecológica, esse tinto foi envelhecido durante 16 meses em barricas. Bem estruturado e encorpado, é fino, gostoso e com taninos que fazem notar na boca. Sem importador.

Framingham 2008
Casta: Sauvignon Blanc
Marlborough, Nova Zelândia
Esse branco agrada muito pela elegância e tipicidade. Notas frescas de maracujá e grapefruit, corpo equilibrado e estruturado e um final de boca suculento e limpo. Zahil, R$ 95

89 PONTOS
Nederburg Late Harvest Vintage 2007
Castas: Chenin Blanc, Weisser Riesling
e Muscat
Stellenbosch, África do Sul
A Nederburg é uma das principais vinícolas da África do Sul, responsável pelo vinho oficial da Copa do Mundo. Na boca, a acidez é equilibrada, com corpo potente.
Casa Flora/Porto a Porto, 375 ml, R$ 56

Chassagne-Montrachet
Les Champs-Gains 2004
Casta: Chardonnay
Borgonha, França
Com profundas raízes na vila de Chassagne-Montrachet, Jean Marc Morey criou a bodega após a aposentadoria de seu pai. Apresentou-se muito gostoso na boca com notas de tabaco, longo e gostoso final. Vinci, US$ 124,50

Beaune Cent Vignes 2005
Casta: Pinot Noir
Borgonha, França
Esse premier cru francês mostra bom equilíbrio e concentração com frutas vermelhas, além de um leve toque herbáceo. Fresco, equilibrado e com taninos mais que redondos. Vinci, US$ 109,50

Barolo Parusso DOCG 2004
Casta: Nebbiolo
Piemonte, Itália
Passa 24 meses em barricas de carvalho. Barolo potente, rico e com muita elegância e delicadeza. Expand, R$ 280

Altas Quintas Reserva 2005
Castas: Tricadeira, Alicante Bouschet
e Aragonez
Alentejo, Portugal
Altas Quintas é um projeto que reúne o produtor João Lourenço e o enólogo Paulo Laureano. Estagia por 16 meses em barricas francesas e americanas garantindo cor granada- -profundo e aromas de especiarias e chocolate. Decanter, R$ 155

Dal Pizzol Brut Tradicional
Castas: Chardonnay, Pinot Noir e Sylvaner
Bento Gonçalves, Brasil
De cor amarelo-dourado, esse nacional apresenta aromas finos e agradáveis de tostado e fermentado. Na boca, mostra-se equilibrado e frutado. Dal Pizzol, R$ 60

130 Casa Valduga 2008
Castas: Chardonnay e Pinot Noir
Bento Gonçalves, Brasil
A cor amarelo forte, além de seu perlage médio e constante chama atenção. Belos aromas de tostado e frutado combinam na composição do bom corpo e no final prolongado. Casa Valduga, R$ 56,27

Herederos del Marqués
de Riscal 2004
Castas: Tempranillo, Graciano e Mazuelo
Rioja, Espanha
Em 1858, tornou-se a primeira bodega da região de Elciego, na Espanha, a vinificar seguindo os métodos bordaleses. Com muita fruta, é gostoso e fresco.
Interfood, R$ 126,45

Doña Paula Selección de
Bodega 2005
Casta: Malbec
Mendoza, Argentina
Todo o esplendor do Malbec é revelado nesse vinho. A fruta, a maciez, o álcool e o retrogosto longo e prazeroso fazem dele uma boa opção para ter em qualquer adega. Grand Cru, R$ 194

Don Melchor 2004
Casta: Cabernet Sauvignon
Vale do Maipo, Chile
Don Melchor dispensa apresentação. É considerado um ícone da viticultura chilena. Com aromas frutados e notas de menta.
Expand, R$ 298

Château Kefraya 2001
Castas: Cabernet Sauvignon,
Mourvèdre, Carignan e Grenache
Vale do Bekaa, Líbano
Este exemplar segue o estilo dos melhores Bordeaux: teor de álcool normal (13,5%), aromas prazerosos de frutas e algumas especiarias como pimenta-do-reino. Na boca, é equilibrado, com taninos macios e final longo. Zahil, R$ 129

Arco de Curiel Crianza 2004
Casta: Tempranillo
Ribera del Duero, Espanha
A bodega espanhola conta com caves subterrâneas onde repousam as barricas de carvalho americano e francês que são usadas para envelhecer o vinho. De boa intensidade, na boca mostra muita fruta vermelha, como ameixa. Sem importador.

Finca La Estacada 2007
Casta: Tempranillo
Cuenca, Espanha
O rótulo espanhol merece destaque. Bem feito e complexo, é gostoso, longo e intenso, com taninos macios. D’Olivino, R$ 54

Viña Salceda Reserva 2002
Castas: Tempranillo, Graciano e Mazuelo
Rioja, Espanha
Pertencente a Julian Chivite, a espanhola Viña Salceda costuma receber boas notas da imprensa especializada. Concentrado, o rótulo degustado é potente sem deixar de lado a elegância de seus taninos redondos. Mistral, US$ 39,90

EQ Syrah 2006
Casta: Syrah
Matetic, Chile
Esse Syrah é delicioso, com algumas notas de tostado e defumado. Na boca, as frutas tomam conta de forma elegante e persistente, com um final macio e sedoso. Casa do Porto, R$ 190

Wild Ferment 2006
Casta: Pinot Noir
Santiago, Chile
Agradou pelos aromas florais de rosas e
violetas, frutas vermelhas maduras mescladas com aroma de terra e musgo. Na boca, tem muito de tudo: álcool, acidez, taninos presentes de boa qualidade e, finalmente, sabores de morangos frescos. Vinci, US$ 47,25

Mount Nelson 2006
Casta: Sauvignon Blanc
Nelson, Nova Zelândia
Ligados à família italiana Antinori, a produtora neozelandesa deste vinho é minúscula com apenas quatro empregados. Com notas de defumado e madeira, e uma acidez mediana. Expand, R$ 78

Marlborough 2006
Casta: Sauvignon Blanc
Central Otago, Nova Zelândia
Hoje, a vinícola tem a maior adega subterrânea da Nova Zelândia. Seu charme está nos aromas florais e de frutas cítricas, características dessa casta. Vinci, US$ 64,50

88 PONTOS
Kumeu River 2006
Casta: Sauvignon Blanc
Marlborough, Nova Zelândia
Fundada em 1944, essa bodega neozelandesa atualmente conta com o premiado enólogo Michael Brajkovic, filho dos fundadores e reconhecido pelos premiados Chardonnay. Esse é um dos últimos lançamentos da vinícola, cujos pontos altos são a acidez e o frescor. Mistral, US$ 55

Cellar Selection 2008
Casta: Sauvignon Blanc
Hawke’s Bay, Nova Zelândia
A casa Sileni Estates produz tintos e brancos de qualidade. Esse branco em especial revelou elegância na tipicidade aromática de frutas cítricas e notas vegetais. Boa relação custo-benefício. Mistral, US$ 33,50

Yacochuya 1999
Casta: Malbec
Salta, Argentina
Essa vinícola argentina é uma associação da tradicional família Etchart com o consultor de vinhos francês Michel Rolland. Muito concentrado, potente, rubi-escuro, aromas de madeira, tabaco e especiarias. Grand Cru, R$ 305

Dão Casa de Santar 2001
Casta: Touriga Nacional
Dão, Portugal
Esse vinho é da antiquíssima casa portuguesa, erguida no ano de 1616. Hoje, é propriedade da Dão Sul, grande produtora de vinhos em Portugal, com 100 hectares de vinhas plantadas.
Santar, R$ 143 (safra 2006)
Domaine Ott Blanc de Blanc Clos
Branco 2005
Castas: Semillon, Ugni Blanc, Rolle
Provence, França
Essa domaine francesa foi fundada em 1896 por Marcel Ott, um engenheiro agrícola nascido na Alsácia. Um vinho claro, leve e delicado característico da Provence. Expand, R$ 178

Bourgogne Rouge 2006
Casta: Pinot Noir
Borgonha, França
O renomado produtor Olivier Merlin viveu alguns anos na Califórnia, Estados Unidos, antes de regressar à França em 1987. A partir daí, vem comprando terras, produzindo e atuando como negociante. Esse Borgonha é equilibrado e com boa complexidade. Enoteca Fasano, R$ 180

Pommard AOC tinto 2002
Casta: Pinot Noir
Borgonha, França
A Borgonha é dividida em muitas comunas, com vinhedos classificados como premiers crus (bons) e grands crus (muito bons). Esse vinho de Olivier Leflaive já está mais que maduro, uma excelente compra. Expand, R$ 139

Gevrey Chambertin 2006
Casta: Pinot Noir
Borgonha, França
Outro belo tinto francês, com boa complexidade e elegância. Casa Flora/Porto a Porto, R$ 210

Luca Vintage 2008
Casta: Pinot Noir
Mendoza, Argentina
A marca criada por Laura Catena apresenta nesse rótulo aromas delicados, porém complexos: geleia de frutas vermelhas, notas de anis e cedro. Na boca, apresentou elegância apesar dos 13% de álcool. Vinci, US$ 49,90

Nederburg 2007
Casta: Shiraz
Stellenbosch, África do Sul
Mostra-se um excelente tinto elaborado com Shiraz (Syrah), que revela os aromas de frutas pretas (ameixas) e principalmente um defumado de madeira. Na boca, é rico, opulento e macio.
Casa Flora/Porto a Porto, R$ 38
Évidence
Castas: Chardonnay e Pinot Noir
Bento Gonçalves, Brasil
O espumante que tem toques dourados no visual mostrou bom perlage e aroma agradável, com toques fermentados e tostados. Na boca, mostrou um bom paladar frutado.
Salton, R$ 48

Cave Geisse Brut 2005
Castas: Chardonnay e Pinot Noir
Bento Gonçalves, Brasil
De aroma muito agradável com um toque de fermento, esse espumante nacional mostra paladar encorpado e com bom final de boca. Sua cor amarelo-dourado ajuda no conjunto.
Cave de Amadeu, R$ 38, R$ 45 (safra 2007)

Chandon Réserve Brut
Castas: Chardonnay, Pinot Noir
e Riesling Itálico
Bento Gonçalves, Brasil
De bom perlage, o espumante mostrou média intensidade aromática, porém, com bom corpo. Muita fruta e intensidade no paladar. Chandon, R$ 45

Maschio dei Cavalieri
Casta: Prosecco
Vêneto, Itália
Um dos melhores espumantes italianos. Frescor no paladar e média intensidade.
Magna Import, R$ 55

Giustino “B” 2007
Casta: Prosecco
Vêneto, Itália
De aromas com pequena intensidade, esse italiano mostrou-se frutado e com um toque adocicado ao final. Cellar, R$ 65 e R$ 75 (2008)

Alion 2004
Casta: Tempranillo
Ribera del Duero, Espanha
Esse espanhol revelou uma potência muito boa, aromas complexos, notas animais, além de frutas e especiarias. Na boca, taninos ainda um pouco ásperos, apesar de excelentes. Mistral, US$ 159,90

Catena Alta 2005
Casta: Cabernet Sauvignon
Mendoza, Argentina
Com aromas intensos de frutas vermelhas e uma boca redonda, com taninos moderados. Suas uvas provêm de vinhedos situados a mais de 1.000 metros de altitude. Mistral, US$ 65,90 (safra 2006)

Chocalán Gran Reserva 2005
Casta: Pinot Noir
Maipo, Chile
De um total de 120 hectares, apenas 3 deles são dedicados a esse Pinot Noir, que revela aromas intensos de frutas vermelhas com notas de especiarias. Na boca, equilibrado, com retrogosto longo e prazeroso. Terramatter, R$ 116

Esporão Alentejo D.O.C.
Reserva 2007
Castas: Roupeiro, Arinto e Antão Vaz
Alentejo, Portugal
Belo exemplar de vinho branco, com aroma intenso de frutas cítricas e madeira, além de boa acidez. Qualimpor, R$ 87,50 (safra 2008)

Quinta Nova Reserva 2005
Castas: Touriga Nacional, Tinta Roriz, Touriga Franca e Tinta Amarela
Douro, Portugal
Luisa Amorim criou a vinícola numa propriedade que data do século XVII. Tem aromas de violetas e de frutas vermelhas. O sabor é gostosamente envolvente e longo. Vinea, R$ 370 (safra 2006)

Carmen Late Harvest 2007
Casta: Moscatel
Valle del Limarí, Chile
As uvas desse chileno passam por fermentação longa (30 dias) em cuba de aço inoxidável com controle de temperatura. O vinho não passa por madeira, o que não esconde as qualidades da casta, que persistem na boca. Mistral, US$ 29,50

Boscato Reserva 2005
Casta: Merlot
Nova Pádua, Brasil
Idealizada por Clóvis Roberto e Valmor Boscato, a vinícola da Serra Gaúcha foi construída em 1983. Esse é um vinho agradável, com muita fruta vermelha, como framboesa. Seus taninos são macios. Boscato, R$ 20,06

Bordón Gran Reserva 2001
Castas: Tempranillo, Garnacha Tinta,
Graciano e Mazuelo
Rioja, Espanha
Com mais de 100 anos de história, o vinho dessa casa espanhola estagia durante 24 meses em barricas de tostagem elevada. O rótulo apresenta muita fruta e, claro, muita madeira. Sem importador

Casa Valduga Premium 2006
Casta: Merlot
Serra Gaúcha, Brasil
Hoje, a terceira geração é que comanda o negócio no Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul. Concentrado e intenso, é um vinho bem saboroso e equilibrado.
Casa Valduga, R$ 38,40

Miolo Terroir 2008
Casta: Merlot
Serra Gaúcha, Brasil
Feito somente nos melhores anos, o vinho envelhece durante 12 meses em barricas novas de carvalho francês e depois na garrafa. A madeira sobressai um pouco, o que evidencia ser um vinho para envelhecer ainda um pouco mais.
Miolo, R$ 80

Casillero del Diablo 2007
Casta: Carménère
Santiago, Chile
É o vinho chileno mais vendido no Brasil. Com personalidade própria, é correto e agradável por causa de seus aromas de madeira, chocolate, frutas vermelhas e ameixa.
Pão de Açúcar (VCT), R$ 33,90

Salton Desejo 2006
Casta: Merlot
Serra Gaúcha, Brasil
Especialista em espumantes, a Salton mostra que também leva a sério a produção de seus outros vinhos, como é o caso desse vinho, que se apresentou bem equilibrado e intenso, com taninos macios. Salton, R$ 55

Solar Viejo Crianza 2005
Casta: Tempranillo
Rioja, Espanha
A Bodega foi fundada em 1937. Trata-se de um vinho típico da região com um leve toque mentolado.
Preebor, R$ 65

87 PONTOS
Selección del Directorio
Gran Reserva 2006
Casta: Pinot Noir
Valle de Casablanca, Chile
Esse rótulo da Santa Helena revelou no nariz frutas vermelhas maduras, seguidas de notas de baunilha, noz-moscada e canela. Na boca, é redondo, com acidez atenuada pela malolática, de corpo leve e com taninos macios. Interfood, R$ 46,05

Santa Carolina 2006
Casta: Cabernet Sauvignon
Vale Central, Chile
Esse vinho, de uma das mais antigas e tradicionais vinícolas chilenas, mostrou-se rico em aromas, como o de baunilha. Tem bom corpo, boa estrutura e taninos muito bem balanceados. Carrefour (Casa Flora), R$ 23

Clos de los Siete 2007
Casta: Malbec, Merlot, Cabernet Sauvignon e Syrah
Mendoza, Argentina
Em 1998, o consultor Michel Roland iniciou um projeto de sete vinícolas na Argentina para a produção de vinhos de alta gama. Cada bodega com um rótulo distinto. Um deles é o Clos de los Siete, vinho muito concentrado e potente. Grand Cru, R$ 103
Bourgogne 2005
Casta: Pinot Noir
Borgonha, França
No Domaine Olivier Guyot são usados cavalos para o trabalho mais pesado, para preservar a terra da melhor forma possível, como se fazia antigamente. O vinho apresentou os aromas típicos da Pinot Noir, com boa fruta e notas de tabaco e especiarias. World Wine, R$ 93

VSAQ Incontri
Casta: Prosecco
Vêneto, Itália
De cor amarelo-palha, mostrou aroma bem frutado com toques de fermentação. No bom paladar, sente-se um pequeno amargor ao final. Vinea, R$ 97

Faè 2007 Extra Dry
Casta: Prosecco
Vêneto, Itália
De perlage fraco e com pequena intensidade aromática, o italiano de cor amarelo-palha mostra um paladar bastante frutado.
Enoteca Fasano, R$ 129

Isabel Estate 2007
Casta: Sauvignon Blanc
Wairau Valley, Nova Zelândia
Casa com grande quantidade de vinhas antigas. Uma parte das uvas usadas nesse branco foi fermentada em barricas de carvalho. O vinho é fino, elegante e com boa acidez. Mistral, US$ 49,90

Luis Felipe Edwards Reserva 2008
Casta: Carménère
Colchagua, Chile
A vinícola chilena chega aos 32 anos de idade produzindo mais de 1 milhão de caixas ao ano. De bom corpo, o vinho mostrou-se gostoso e bem equilibrado. Pão de Açúcar (importação própria), R$ 25,90

Concha y Toro Reservado (não safrado)
Casta: Cabernet Sauvignon
Santiago, Chile
Esse rótulo faz parte de uma linha básica da chilena Concha Y Toro. De cor viva, o jovem vinho é ligeiro e leve na boca, com um pequeno amargor no final. Carrefour (Villa Porto International Business S.A.), R$ 18,90

Gracia de Chile Pasajero Reserva 2006
Casta: Cabernet Sauvignon
Rapel Valley, Chile
As primeiras plantações ocorreram no ano de 1989 com a proposta de elaboração de vinhos finos no Chile. Na boca, lembra um pouco um vinho europeu, com couro no aroma.
Walmart (importação própria), R$ 14,98

Stonyridge Larose 2001
Castas: Cabernet Sauvignon, Merlot, Malbec, Cabernet Franc e Petit Verdot
Waiheke Island, Nova Zelândia
Cor vermelho-profundo, com aromas desenvolvidos de amoras e cassis, além de nuances complexas de cedro e tabaco. Tem boa concentração e taninos sedosos. Premium, R$ 500

Cono Sur 20 Barrels 2006
Casta: Pinot Noir
Waiheke, Chile
Para fazer o 20 Barrels, as frutas foram colhidas manualmente e passaram por um período de maceração carbônica em baixa temperatura. Com aromas elegantes de flores e frutas, na boca os taninos macios provocam uma agradável sensação longeva. Wine Premium, R$ 95

EQ 2006
Casta: Pinot Noir
Matetic, Chile
O vinho é elaborado com uvas de cinco parcelas, cada qual com sua peculiaridade e clone específico. Na boca, seus taninos macios dão suporte a uma acidez correta proporcionando um retrogosto longevo.
Casa do Porto, R$ 190

Anakena Single Vineyard 2007
Casta: Pinot Noir
Vale do Rapel, Chile
Revela aromas de frutas vermelhas maduras; mas seu maior charme está na parte gustativa com um corpo leve de sabor prazeroso, sem excesso de acidez. Mercovino, R$ 48

Campolargo 2005
Castas: Pinot Noir e Baga
Bairrada, Portugal
Esse corte português demonstra aromas intensos de frutas e flores. Na boca, apresenta bom corpo, taninos de excelente qualidade e um retrogosto longo e prazeroso. Mistral, US$ 97

Dr. Bürklin-Wolf Trocken 2006
Casta: Pinot Noir
Pfalz, Alemanha
É a maior vinícola familiar alemã. Mostrou aromas charmosos de frutas pretas, como ameixa e black currant, com toques de cedro e tostado. Na boca, marcou presença de forma duradoura. Mistral, US$ 77

Casale Vecchio 2007
Casta: Pecorino
Montepulciano d’Abbruzzo, Itália
Mostrou aromas intensos de frutas, damasco e madeira. Revela boa acidez, com álcool contribuindo para uma boa estrutura.
World Wine, R$ 63

Lorca Fantasia Torrontes 2006
Casta: Torrontes
Mendoza, Argentina
O enólogo Mauricio Lorca resolveu fazer o próprio vinho com uvas de altitude na Argentina. São apenas mil caixas desse vinho, com uma paleta olfativa intensa de flores como jasmim, lichia e rosas. Winery, R$ 35 (safra 2009)

Vetiver Crianza 2003
Casta: Viura
Rioja, Espanha
Revela os aromas típicos de frutas cítricas, misturadas às notas de baunilha de seu estágio em carvalho. Na boca, é agradável e equilibrado. D’Olivino, R$ 82

Cipress 2006
Casta: Sauvignon Blanc
Enóloga: Maria Luz Marin
Valle de San Antonio, Chile
Esse vinho revela aromas característicos de maracujá e damasco, com notas minerais. Na boca, bela acidez e corpo.
Vinea, R$ 189 (safra 2008)

Susana Balbo
Malbec 2006
Castas: Malbec e Cabernet Sauvignon
Agrelo, Argentina
Susana Balbo é sem dúvida a enóloga argentina mais famosa no Brasil. Vinho potente, vigoroso e envolvente. Um detalhe interessante: os vinhedos são de pé franco (sem enxertia). Cantu, R$ 120

El Noble Botrytised 2006
Casta: Sauvignon Blanc
Vale de Casablanca, Chile
Villard é um pequeno produtor por opção. A vinícola foi a primeira “viña-boutique” do país, fundada em 1989, após longos anos de experiência do enólogo na Austrália. O vinho se apresentou muito aromático, além de notas de frutas secas. Decanter, 375 ml, R$ 75

Viña Sastre Roble 2007
Casta: Tempranillo
Burgos, Ribera del Duero
Com uma produção anual de 190.000 litros, a bodega conta com uma nave que abriga 750 barricas de carvalho francês e americano. Vinho bem equilibrado. Península, R$ 74

86 PONTOS
Periquita 2005
Castas: Castelão, Trincadeira e Aragonez
Azeitão, Portugal
Esse é um dos mais antigos rótulos de Portugal e um dos de maior sucesso no Brasil. O corte atual é das castas portuguesas Castelão, Trincadeira e Aragonez. Apresenta aromas de café torrado e chocolate.
Carrefour (Diageo), R$ 25,40

Marqués de Riscal Rueda 2007
Casta: Verdejo
Rueda, Espanha
Um belo exemplar de vinho espanhol que não passa por madeira. A Verdejo é uma uva natural da região e contribui com aromas intensos vegetais e florais. Na boca, apresenta boa acidez com um leve travo amargo no fim. Interfood, R$ 60,21

Talento 2005
Castas: Cabernet Sauvignon,
Merlot e Tannat
Serra Gaúcha, Brasil
O exemplar brasileiro comprova a evolução de nossos vinhos. Desde as uvas até o afinamento em carvalho francês, todos os cuidados foram tomados para fazer um rótulo de qualidade. Salton, R$ 55

Acinatico Amarone della
Valpolicella Classico 2005
Castas: Corvina, Rondinella e Molinara
Vêneto, Itália
Os irmãos Daniele, enólogo, e Tiziano, administrador, com o pai, Stefano Acordini, que ainda cuida dos vinhedos, produzem esse Amarone com técnicas tradicionais de passificação das uvas, que provêm de uma pequena parcela de 4 hectares. Zahil, R$ 360

Château Le Puy 2004
Castas: Merlot, Cabernet Sauvignon
e Carménère
Bordeaux, França
Jean Pierre Amoreau mantém a tradição de gerações em utilizar na produção o método biodinâmico, sem fertilizantes sintéticos ou herbicidas. São 25 hectares de vinhedos com mais de 50 anos de idade, do lado de Saint Emilion. World Wine, R$ 175

Santero
Casta: Prosecco
Santo, Itália
Esse prosecco amarelo-palha, com bom perlage, mostrou-se fraco nos aromas, porém agradável no paladar, com muita fruta e frescor.
Vinci, US$ 26,90

Pizzato Brut 2007
Castas: Chardonnay e Pinot Noir
Bento Gonçalves, Brasil
De tom amarelo, com toques dourados, desenvolveu na taça bom perlage. Aromas e paladares exóticos e diferentes. Pizzato, R$ 44

Mostrar mais

Prazeres da Mesa

Lançada em 2003, a proposta da revista é saciar o apetite de todos os leitores que gostam de cozinhar, viajar e conhecer os segredos dos bons vinhos e de outras bebidas antecipando tendências e mostrando as novidades desse delicioso universo.

Artigos relacionados

Leia também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar