Ranking

Pinot Noir da Borgonha

POR HORST KISSMANN
FOTOS RICARDO D´ANGELO

A Pinot Noir é a responsável pela grande maioria dos tintos encontrados na região da Borgonha, França. A exceção são os produzidos na região de Beaujolais, onde a Gamay Noir predomina. Em geral, os vinhos produzidos com a casta desta prova são elegantes, com certo grau de evolução (safras mais antigas), boa expressão aromática e menos tânicos – características de vinhos do velho mundo. A uva é também conhecida na produção de espumantes. Na boca, as amostras degustadas às cegas mostraram-se redondas e com boa evolução. Mas prepare a carteira: o preço médio é de 150 reais. De qualquer forma, os vinhos envasados em garrafas de ombro estreito e base larga valem o investimento para uma data especial.

90
Volnay AOC tinto 2003 – Vinho do mês

Álcool: 13%
Produtor: Olivier Leflaive

Continua após o anúncio

Jovem, a Olivier Leflaive nasceu em 1984, com foco nos brancos Chardonnay. Dos poucos Pinot Noir produzidos pela vinícola, este é um de comprovada exelência com tons de chocolate. Muito bem estruturado e com final longo. Expand, R$ 139

89
Chassagne-Montrachet Les Champs-Gains 2004

Álcool: 14%
Produtor: Domaine Jean Marc Morey

Com profundas raízes na vila de Chassagne-Montrachet, Jean Marc Morey criou a bodega no ano de 1981 após a aposentadoria de seu pai. O vinho apresentou-se muito gostoso na boca com notas de tabaco, longo e gostoso final. Vinci, US$ 99,90

89
Beaune Cent Vignes 2005

Álcool: 13%
Produtor: Camille Giroud

Este premier cru mostra um bom equilíbrio e concentração com frutas vermelhas, além de um leve toque herbáceo. Fresco, equilibrado e com taninos mais que redondos. Vinci, US$ 109,50

88
Bourgogne Rouge 2006

Álcool: 13%
Produtor: Olivier Merlin

O renomado produtor Olivier Merlin viveu alguns anos na Califórnia (EUA) antes de regressar à França em 1987 e desde este ano vem comprando terras, produzindo e atuando como negociante. Este Borgonha é muito equilibrado e com boa complexidade. Enoteca Fasano, R$ 180

88
Pommard AOC tinto 2002 – Best Buy

Álcool: 13%
Produtor: Olivier Leflaive

A Borgonha, ou Bourgogne, é dividida em muitas comunas (Pommard, Gevrey-Chambertin, Volnay), com vinhedos classificados como premiers crus (bons) e grands crus (muito bons). Este vinho de 2002 já está mais que maduro. Expand, R$ 139

88
Gevrey Chambertin 2006

Álcool: 13%
Produtor: Masson Dubois

Reconhecida por seus Chablis, elaborado exclusivamente com a uva Chardonnay. O vinho degustado apresentou um belo conjunto, mas não chegou a empolgar. Faltou um pouco de elegância. Casa Flora, R$ 200

87
Hautes Côtes de Nuits 2005

Álcool: 12,5%
Produtor: Domaine Antonin Guyon

Vincent Nicot é o responsável pela gerência da vinícola e pelas garrafas que estagiam por 12 meses em barricas de carvalho, por onde também ocorre a fermentação malolática. O rótulo degustado apresentou falta de estrutura e taninos ruins. Decanter, R$ 119,25

87
Bourgogne Pinot Noir 2005

Álcool: 12,5%
Produtor: Domaine Olivier Guyot

Esta Domaine pertence à mesma família desde o século XVI. Olivier foi escolhido pela “Revue du Vin”, como o melhor jovem produtor da Borgonha do ano de 2001. Apresentou aroma de tutti frutti, amargor e final curto. World Wine, R$ 147

86
Côte de Beaune-Villages 2006

Álcool: 13%

Produtor: Bouchard Père & Fils
Com mais de 100 anos de história, é uma das maiores proprietária de premiers crus na região de Beaune. Cada parcela de terra é vinificada em separado, sendo que este tinto tem potencial de guarda de oito anos. Grand Cru, R$ 130

86
Bourgogne Rouge 2001

Álcool: 12,5%
Produtor: Leroy

Além de produzir vinhos com suas próprias uvas, Madame Leroy seleciona vinhos de outros produtores para comercializar. Este é o mais ”simples” dos Bourgogne da Leroy. Lembra um Pinot e apresenta certo amargor. Zahil, R$ 185

86
Mercurey 2005

Álcool: 13%
Produtor: Domaine Lupé-Cholet

O vinho é da subregião Côte Chalonaise, que fica em torno da cidadinha de Chalon-sur-Saône, na vila de Mercurey, ao sul de Beaune. Na boca não chegou a empolgar. Faltou um toque de elegancia. Terroir, R$ 198

Nosso júri

Reunidos no A Bela Sintra, em São Paulo, o restaurante que conta agora com a experiente chef portuguesa Ilda Vinagre, foi formado pelos experts Bernardo de Ouro Preto, Marcos Santo Mauro, Olga Martino Bermudez, Fabio Miolo e Leo Levorin; pelo restauranter Lamberto Percussi; e por Maurice Bibas, Jorge Carrara, Marta Barbosa e Ricardo Castilho, de Prazeres da Mesa.

Mostrar mais

Prazeres da Mesa

Lançada em 2003, a proposta da revista é saciar o apetite de todos os leitores que gostam de cozinhar, viajar e conhecer os segredos dos bons vinhos e de outras bebidas antecipando tendências e mostrando as novidades desse delicioso universo.

Artigos relacionados

Leia também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar