ColunasDestaque Principal

Dicas de como comprar azeites

Checar local de origem e data de envasamento, escolher embalagens escuras e ficar atento ao prazo de validade são algumas dicas para escolher bons azeites

Se você é daqueles que ao comprar azeites pensa: ‘é caro, não consigo incluir no meu dia a dia o consumo desse produto‘, eu lhe deixo uma questão para refletir na próxima compra. Não tenha receio de incluir o azeite de oliva em suas receitas do trivial. Ao escolher e comprar um rótulo, é bom lembrar que ele pode vir a durar meses, então, não leve em consideração somente o valor imediato da compra. Seu custo será dividido por várias semanas e por muitas refeições. Por isso, invista em um azeite de qualidade.

O que determina um bom azeite

Muitos fatores influenciam na qualidade, no sabor e no aroma do azeite de oliva. A época da colheita das azeitonas que, em Portugal e na Espanha, por exemplo, se dá entre os meses de outubro e dezembro, e determina o índice de maturação dos frutos. A variedade da azeitona da qual foi feito o óleo, podendo ser mais suave ou mais intenso, com pouco ou muito aroma.

A região, o clima e o solo local, a umidade, o calor, a chuva, geadas e nevascas, bem como se o olival é de planície ou de montanha, o que também influencia o produto. Os tipos de cultivo, se recebem menos ou mais água, se são ecológicos e qual o processo de produção. Devemos observar a temperatura em que foi feito, a decantação do produto, sua filtragem e o modo de conservação, envase e embalagem.

Continua após o anúncio

Ufa! São muitas as variantes às quais devemos ficar atentos para a escolha de um azeite de verdade. Mas tenho uma boa notícia: quando for escolher e comprar um azeite, atente-se para algumas dicas.

9 dicas para lembrar na hora de comprar azeites

  • Para que o produto seja considerado “azeite extravirgem” ou “azeite de oliva virgem”, não é permitida a presença de misturas com óleos vegetais refinados, como de soja, de outros ingredientes, aromas ou sabores.
  • A luz e o calor são grandes inimigos dos azeites, seguido do oxigênio. Por isso, ao comprar o azeite, escolha embalagens escuras. Elas ajudam a isolar o produto da luz.
  • Verifique o local de origem e a procedência de onde foi produzido. Isso garante a qualidade de seus produtos, por ter controle sobre toda a produção.
  • O azeite é feito por um processo natural, 100% suco de azeitona. Por essa razão, busque por aqueles envasados mais recentemente. Ao contrário do vinho, quanto mais novo o azeite, melhor.
  • A acidez indicará a classificação do produto. O tipo extravirgem não tem defeitos sensoriais e mantém uma acidez máxima de 0,8%. Já o azeite tipo virgem tem limite de acidez maior que 0,8% e menor que 2% e o azeite de oliva, um azeite refinado de oliva misturado com azeite virgem pode chegar a uma acidez de cerca de 1,0%.
  • Lembrando que a acidez do azeite não está relacionada com a percepção do sabor ácido presente em muitos alimentos, como o limão. Está relacionada ao teor de ácidos graxos livres de gordura e só pode ser detectada por meio de análises laboratoriais.
  • Anote aí: a qualidade do azeite vai depender não apenas de sua acidez, mas de muitos outros fatores: os atributos da fruta, o cuidado durante a colheita, a origem e a procedência, o tempo de armazenamento da fruta até a extração e o envase do produto. Cada região, cada ponto de maturação, cada variedade faz com que cada produção tenha características próprias, com sabores e aromas únicos. É o trabalho de um ano de olivicultores por trás de uma marca de verdade. E por ser um suco de fruta, ao provar um azeite, se ele tiver o frescor da azeitona, bem como seu amargor e picância, já será um bom indício de um produto de qualidade.
  • Também fique atento ao prazo de validade, que vem informado na embalagem. Mantenha o azeite sempre longe de fontes de calor, como fogão, churrasqueira, ao abrigo da luz e em local seco, para manter os aromas e os sabores preservados. Depois de aberto, deixe sempre a tampa bem vedada, em recipientes escuros e longe do calor. Evite, por exemplo, deixar o azeite em azeiteiras transparentes, com bico dosador que deixa entrar o ar.
  • Por último, tenha sempre dois azeites de oliva: um clássico para cozinhar, refogar e finalizar as comidas do dia a dia, e um azeite extravirgem de sabor mais intenso, como muitos dos azeites brasileiros, para finalizar pratos mais condimentados. Assim, você terá sempre sabores e novas experiências a ser exploradas em sua cozinha.

Etiquetas
Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar