Destaque PrincipalNotícias

A influência italiana

Como a culinária de Minas Gerais foi influenciada pelos pratos e receitas da Itália, dando origem à cozinha ítalo-mineira

A  onipresença da gastronomia italiana é notável em diversos pratos pelo Brasil e foi possível perceber também na última edição do Mesa Minas, realizado em novembro em Belo Horizonte. Foi ali que os presentes puderam aprender mais e provar receitas da cozinha ítalo-mineira.

Por Pedro Melo e Laura Gomes (aluna de jornalismo do Centro Universitário UNA)

Foto: Ricardo D'angelo.O chef Henrique Burd, do restaurante mineiro Ateliê da Cozinha, em Sete Lagoas, trouxe ravióli de angu e frango com quiabo. Tamanha mineiridade, mesclada à massa, referência gastronômica forte da Itália. O angu, iguaria advinda do fubá, passou a ser usado como massa, na região de Conceição do Mato Dentro e Itabirito, como costumeiramente é atribuída pelos mineiros. Esse derivado do milho também é encontrado em pastéis de massa de angu, recheado com diversos sabores.

Continua após o anúncio

Embora haja diversas formas de o angu ser apresentado, Henrique revelou que sua inspiração foi precisamente o angu e não o pastel, contrariando o que acreditavam muitos presentes em sua aula. Por sua vez, o frango com quiabo tem raízes africanas e é consumido juntamente com o angu.

Henrique, em sua apresentação, conseguiu unir diversas referências culturais em um prato. Trazendo desde a massa italiana até os temperos mais “de casa”. “Esse é um prato que quando você olha, é italiano, e quando você come, é mineiro”, disse Burd. Ele também comentou durante sua aula que pensou em trazer o risoto de frango com quiabo, mas quis proporcionar uma nova sensação aos participantes. A sensação de que eles podem brincar com os sentidos. Com a visão, você é levado aos sabores italianos, mas quando come há a surpresa: “Isso é frango com quiabo!”.

Roça ítalo-mineira em família

A culinária passada de geração em geração é marcante, e traz um sabor que não é encontrado em qualquer lugar. Unido à gastronomia mineira, então, não poderia dar errado. E isso pode ser visto com clareza na aula do chef Américo Piacenza, do Restaurante Cantina Piacenza. Junto com a mãe, Mirtes Piacenza, ele trouxe o tortellini, clássica massa da culinária italiana, mas em uma releitura, com ingredientes mineiros. Recheado de guisado da roça, o prato teve como acompanhamento bechamel de feijão e crocante de bacon.

Para o recheio, Américo deu diversas dicas, e reforçou a importância da combinação de sabores. “O guisado é feito muitas vezes com diversos produtos únicos que, quando unidos, se tornam ainda melhores. Pensando nisso, escolhi três ingredientes do meu quintal para trazer para vocês hoje: jiló, quiabo e abóbora.”

Foto: Ricardo D'angelo.
Tortellini de guizado da roça ao bechamel de feijão, por Américo Piacenza.
Histórias além da receita

Durante o preparo da receita, o chef contou um pouco de sua trajetória na gastronomia, e a importância  de dona Mirtes no desenvolvimento da paixão. Ela começou a trabalhar com massas artesanais em 1986, e sua destreza com a cozinha chamou a atenção do filho, que seguiu passos semelhantes ao da mãe. Atualmente, a fábrica comandada por dona Mirtes tem, pelo menos, 30 variedades, e seu maior cliente não poderia ser outro: Foto: Ricardo D'angelo.a Cantina Piacenza.

A técnica usada para adquirir cores na massa também é realizada por meio da mistura de ingredientes. O ora-pro-nóbis foi usado para o tom verde, e segundo dona Mirtes, outros produtos podem ser usados para variar a coloração. “Uma beterraba pode ser inserida na receita, se o desejo for ter uma massa vermelha, por exemplo. Todos os ingredientes são naturais, e geram uma variedade enorme”, afirma.

O prato é finalizado com o molho bechamel de feijão, e bacon frito picado por cima. A combinação de todos os elementos do prato traz uma sensação única de frescor e crocância, com o bom tempero que a culinária mineira tem como referência.

Ao concluir a receita, o público pode degustar um pouco da idealizada pelo chef e proprietário do Cantina Piacenza, que ressaltou a importância de eventos como o Mesa Minas. “É muito marcante para mim estar aqui, repensando a culinária mineira, parando para refletir o que pode representar tão bem a nossa gastronomia”, afirmou Américo.

Para dona Mirtes, por fim, o segredo do sucesso é o amor pelo que se faz. “Reproduzi a receita da mesma forma que cozinho para minha família, e tenho a sensação de que, por isso, todos gostaram tanto. Fora que a experiência de ter dado uma aula com o Américo foi incrível! É muito marcante participar de eventos que reúnem pessoas tão interessadas na gastronomia, ainda mais quando usamos ingredientes tão importantes para os mineiros”, disse, ao finalizar.

Etiquetas
Mostrar mais

Prazeres da Mesa

Lançada em 2003, a proposta da revista é saciar o apetite de todos os leitores que gostam de cozinhar, viajar e conhecer os segredos dos bons vinhos e de outras bebidas antecipando tendências e mostrando as novidades desse delicioso universo.

Artigos relacionados

Leia também
Fechar
Botão Voltar ao topo
Fechar