Destaque PrincipalReportagensViagens

O que define um bom whisky escocês

A palavra whisky é o diminutivo de usquebaugh, que vem do gaélico uisge beatha, que significa água da vida

Se há uma bebida reverenciada por todo o mundo, esta é o uísque escocês. Nada melhor do que apreciar esse líquido amarelo-ouro puro, com pedras de gelo ou na forma de coquetel. É puro prazer. A palavra whisky é o diminutivo de usquebaugh, que vem do gaélico uisge beatha, que significa água da vida. A bebida é um destilado de grãos que foi envelhecido em barris. Seguindo a lei brasileira, o teor alcoólico deve ficar entre 38% a 54% de álcool etílico. Mas, na Escócia, é possível encontrar whiskies com graduação alcoólica muito maior. A grande maioria comercializada tem 40%.

Por Cesar Adames, da Escócia

O processo de elaboração da bebida, portanto, começa com um fermentado à base de grãos, em grande parte dos casos cevada. Essa cerveja, com teor alcoólico entre 8% e 12%, vai ser destilada duas vezes, podendo chegar a uma graduação alcoólica de até 90%. O líquido obtido pela destilação é então armazenado em barris de carvalho por vários anos, quais ganhará cor, aroma e sabor, perdendo graduação alcoólica com o passar dos anos. Segundo os mestres destiladores, na Escócia o whisky ganha 60% de seu sabor descansando nessas barricas.

Continua após o anúncio
Foto: arquivo PDM.
Foto: arquivo PDM.

Com controle e regulamentação rigorosa, a bebida pode ter diversos estilos. Os mais conhecidos são o Single Malt, que é feito a partir de 100% de cevada maltada, proveniente de uma única destilação, feito em alambiques de cobre. O outro é o Blended ou mistura, feito com cereais como trigo, centeio, milho e até arroz. Ele é destilado em alambiques de aço inox no formato de colunas, em um processo mais rápido e barato do que no alambique de cobre.

A regulamentação para whisky na Escócia

Na Escócia existe uma regulamentação que define a produção em cinco categorias para que os whiskies possam ter as palavras Scotch Whisky em seu rótulo e ser vendidos no exterior.

A categoria que produz mais de 90% de volume de whisky na Escócia é a do Blended Scotch Whisky, que é um blend de um ou mais Single Malt Scotch Whiskies, com um ou mais Single Grain Scotch Whiskies.

Temos ainda o Single Gran Scotch Whisky, que deve vir de uma única destilaria e pode utilizar outros tipos de grão, maltados ou não, como centeio, trigo e milho e pode ser destilado em colunas de aço inox. O Blended Grain Scotch Whisky é a categoria que permite a mistura de dois ou mais Single Grains, que foram destilados em diferentes destilarias. O Blended Malt Scotch Whisky, então, segue o mesmo critério da categoria anterior, mas envolve a mistura de dois ou mais Single Malts que foram destilados em diferentes destilarias.

A primeira e mais tradicional de todas é o Single Malt Scotch Whisky. Ele deve ser destilado em uma única destilaria com apenas cevada maltada (germinada), sem adição de outros cereais e destilado em Pot Stills, alambiques de cobre e engarrafado na Escócia. Por causa disso, é o whisky mais tradicional e que apresenta diferentes nuances de aromas e sabores. Visitamos cinco dos mais clássicos Single Malts que têm boas histórias para contar.

Cardhu

O nome deriva do gaélico escocês Carn Dubh, que significa ‘Black Rock’, ou rocha negra. Foi fundada por John Cumming em 1824. Em 1893, passou a ser controlado pela John Walker and Sons Ltd., proprietária dos blends Johnnie Walker. Sua produção de Single Malt passa então a ser parte importante na elaboração dos blends da maior parte de sua linha.

Sua venda foi interrompida por um período e, após uma reforma, em 1960, quando ganhou seis alambiques para destilação, voltou a ser vendida ao público como Single Malt. Atualmente, são produzidos cinco estilos: 12, 15 e 18 anos, bem como Gold Reserve e Amber Rock. No mercado brasileiro só temos à venda o 12 anos.

Glenlivet

Em 1822, o rei George IV visitou o vale de Glen Livet, na Escócia, e o whisky já fazia parte da cultura local. O único problema, porém, é que ele era ilegal e não recolhia impostos. Em 1823, então, o governo introduziu um sistema de regras e leis, e baixou o preço das licenças para a produção de álcool e, assim, tentar legalizar as destilarias.

George Smith já era um destilador e produzia cerca de 200 litros por semana. Com a nova lei, resolveu em 1824 legalizar seu negócio. A marca Glenlivet foi a primeira a ser registrada e a pagar impostos. Atualmente, é a segunda maior produtora de Single Malt e está presente em mais de 100 países.

Glenfiddich

Uma das maiores destilarias da Escócia fica na cidade de Dufftown, região que tem a maior concentração de destilarias por metro quadrado. Fundada em 1886, pertence ainda ao mesmo dono, o grupo William Grants & Sons, que produz várias marcas de blended e single malts.

Em 1963, Glenfiddich foi o primeiro Single Malt a cruzar o oceano e chegar ao mercado americano, onde teve um grande sucesso. Além disso, um de seus diferenciais é a icônica garrafa triangular, que faz com que ganhe destaque nas prateleiras dos bares.

Strathisla

Considerada a destilaria mais antiga em operação na Escócia. Foi fundada em 1786 por George Taylor e Alexander Milne, com o nome de Miltown. Mudou de nome algumas vezes e, em 1951, recebeu o nome definitivo de Strathisla.

Em 1950, um ano antes da mudança de nome, ela foi comprada em um leilão pelo grupo Chivas Brothers e seu single malt passou a fazer parte do blend da marca. Localizada na cidade de Keith é a destilaria mais fotografada da Escócia, por causa de seus telhados chamados pagodas, ou seja tipo de torre com múltiplas beiradas, muito comum na China e no Japão.

The Macallan

Fundada em 1824 por Alexander Reid, a marca foi comprada pelo Edrington Group em 1996. Em 2018, inaugurou a nova e moderna destilaria que fica ao lado da antiga. Com linhas e curvas totalmente inovadoras, que fogem ao padrão das destilarias tradicionais, já é umas das mais visitadas da Escócia, além de ter triplicado a capacidade de produção.

The Macallan é considerada por muitos o Rolls Royce dos Single Malts, fama adquirida na década de 1980, quando começou um projeto de maturação de seus whiskies em barris de Jerez espanhol. Atualmente, seus whiskies são produzidos em diferentes linhas de produtos, como a Sherry Oak, Double Cask, Fine Oak, The 1924 Series, bem como The 1824 Collection e Limited Releases.

Etiquetas
Mostrar mais

Prazeres da Mesa

Lançada em 2003, a proposta da revista é saciar o apetite de todos os leitores que gostam de cozinhar, viajar e conhecer os segredos dos bons vinhos e de outras bebidas antecipando tendências e mostrando as novidades desse delicioso universo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
Fechar